CID 10 I42.0 - Cardiomiopatia dilatada

  • I42.1 - Cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica
  • I42.2 - Outras cardiomiopatias hipertróficas
  • I42.3 - Doença endomiocárdica (eosinofílica)
  • I42.4 - Fibroelastose endocárdica
  • I42.5 - Outras cardiomiopatias restritivas
  • I42.6 - Cardiomiopatia alcoólica
  • I42.7 - Cardiomiopatia devida a drogas e outros agentes externos
  • I42.8 - Outras cardiomiopatias
  • I42.9 - Cardiomiopatia não especificada

Veja mais sobre o Capítulo IX - Doenças do aparelho circulatório


O que é o CID-10?

O CID é a abreviação de Classificação Internacional de Doenças, desenvolvida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A principal função do CID é monitorar a incidência e prevalência de doenças, através de uma padronização universal das doenças, problemas de saúde pública, sinais e sintomas, queixas, causas externas para ferimentos e circunstâncias sociais, apresentando um panorama amplo da situação em saúde dos países e suas populações.

CID 10 foi originalmente criado para manter um padrão de comunicação entre profissionais e especialistas da área da saúde.

Padronização do CID

Entre diversas padronizações, o CID 10 determina grupos para o tratamento seja mais eficaz, uma vez que auxilia médicos e outros profissionais da saúde a indicar tratamentos que tenham eficácia comprovada em outros lugares ou partes do mundo.

Entre as padronizações estão:

  • Doenças
  • Sintomas
  • Queixas
  • Causas externas
  • Aspectos anormais

Publicação do CID 10 e Atualizações

Os códigos CID são publicados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e é usada globalmente para estatísticas de mobilidade e de mortalidade, sistemas de reembolso e de decisões automáticas de suporte em medicina.

O CID 10 foi desenvolvido em 1992 e é atualizado, com alterações menores a anualmente e com atualizações maiores a cada 3 anos.

Em 18 de Julho de 2018, foi lançada o CID 11, com aproximadamente 55 mil códigos único para lesões, doenças e causas de morte. O CID 11 entrará em vigor em 1 de janeiro de 2022.